Brutal Doom v21. Nova jogabilidade e muita diversão em um jogo de 1993

Doom capa

Você sabe, Doom 1 é o pai ou até mesmo o avô de todos os FPS. E não me venha falar de Wolfenstein porque mesmo sendo este o pai do Doom, foi o Doom que despertou o interesse de milhões de pessoas e fez com que pilhas e pilhas de disquetes fossem passadas de mão em mão na década de 90 permitindo aos jogadores uma imersão nunca dantes vista em um jogo, e muito sangue também.

 

Doom disquetes 1

doom disquetes 2

 

Mas acontece, já se passaram 24 anos de seu lançamento e o jogo já não agrada mais. Certo? Errado! Há uma IMENSA comunidade em volta do jogo. Depois que o código fonte original foi tornado público pelo John D. Carmack, um enxurrada de ports e mods foram criados. Estes ports alteram o jogo corrigindo bugs da Engine original, “melhoram” os gráficos, incrementam os controles de entrada e adicionam novas features. Dentre estes mods, o Brutal Doom com certeza se destaca.

Este mod traz várias funcionalidades não presentes no jogo original. Isto pode soar uma heresia aos puristas, mas posso lhe afirmar que estas features adicionadas são bem legais e desejadas: novas armas; monstros com novos ataques; efeitos visuais modernos mantendo-se a característica gráfica original; nova mecânica de danos aos monstros; e sangue, muito sangue (talvez uma das características mais legais é a possibilidade de desmembrar e executar os inimigos)!

Está em desenvolvimento atualmente a v21 do Brutal Doom, deem uma conferida no vídeo developer diary para ter uma noção das novas modificações e funcionalidades:

 

 

Sendo sincero, é realmente bem estranho estarmos falando em 2017 de um jogo de 1993 que mesmo possuindo um port atual ainda possui o seu visual original e um foco na “campanha” (afinal 14kbps era a banda larga à época). Mas não se engane, Doom é atemporal e extremamente divertido. Não é à toa que até hoje ainda exista gente criando para ele. Desapegue de preconceitos, dê uma chance ao Brutal Doom e divirta-se. E é isso que vou fazer agora!

 

 

PS: Se você é do estilo purista, procure pelo Chocolate Doom, este port procura ser o mais fiel possível à Engine original com o benefício de rodar em Sistemas Operacionais modernos.

Abraços.

Comentários

Comentários

Be the first to comment

Leave a comment

Your email address will not be published.


*